terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Passarinho

Dia normal, banal, convencional. Salvo pelo passarinho que entrou no “aquário” da loja pelo defectivo buraco redondo que fica logo abaixo da palavra “caixa” e por onde os únicos passarinhos que costumavam entrar eram os beija-flores das defuntas notas de um real... Entrou fácil mas não encontrou a saída com a mesma desenvoltura. E tome cabeçadas suicidas na parede de vidro. Depois que a “tontera” passava lá ia ele outra vez alçar vôo rumo as árvores verdejantes que a parede de vidro só permitia ver, mas jamais alcançar.

E assim o passarinho de ontem fez por quatro ou cinco vezes. Assim que os clientes deram folga tentei pegá-lo. Ele me pareceu usar suas últimas forças para fugir de mim ou do que julgava ser eu. Até que seus míseros pulmões (será que eles também têm dois?) não lhe permitiram mais o esforço e ele convalesceu, prostando-se derrotado e indefeso diante dos meus pés.
 
Isso é ou não é pavor?

Peguei-o. E ele arregalou os olhos, vi em suas pupilas ofegantes o que no universo dos homens poderia ser chamado de pavor e no universo dos pássaros sabe-se lá de quê. Fi-lo voar, não o quis, ou não o conseguiu. Molhei-lhe a cabeça, assustou-se. Afoguei-lhe o bico, bebeu e espertou-se. Empulerei-o no celim de Izabela (minha bicicleta) e ele voou. Mas a reflexão de seu exemplo ficou em terra e me incomoda até agora quando já deveria estar dormindo.

Compartilho:

“Quais serão as paredes de vidro nas quais tenho batido minha cabeça diariamente?”

“Que energia ou ser tenta me ajudar e eu por não compreendê-lo(a) aterrorizo-me assim como aquele passarinho quando peguei-o para ajudá-lo?”

“Será que era isso que Mário Quintana quis dizer quando cunhou o célebre trocadilho: ‘Todos esses que aí estão atravancando meu caminho, eles passarão e eu passarinho?’ ”

10 comentários:

  1. ... Não me atrevo a submergir.
    Mais que profundo este seu!

    ResponderExcluir
  2. primeio: gostaria de parabenizar o senhor dono desse blog por te-lô atualizado! ( já tava na hora né? ¬¬ )

    segundo: penso eu que o passarinho deve ter olhado pra ti e ter pensado "meu deus!! que ser é esse parecido com um brocolis que se aproxima de mim?!?!" ( só a nivel de esclarecimento, não estou fazendo a referencia ao brocolis devido a sua cor, eu precisava explicar porque eu sei que tem muita gente que deve analisar primeiro a cor )

    terceiro: é a mesma coisa que eu digo pra hellen, tu tem medo poque tu é cagão! mete a cara e te aventura em coisas novas, ficar na "bolha rosa" so vai te deixar cego e impotente fazendo com que tu seja incapaz de lhe dar com novos horizontes! seu mariquinha! ^^

    quarto: tchau, beijo, me liga! =****

    hahahahaha

    ResponderExcluir
  3. Pode crê!, já entrei em "aquarios" sem saber nadar entrei em mundos sem saber onde é,e sempre tive medo, acredito que seres de toda espécie, também compartilhe das mesmas sensações, e diga-se de passagem que por "nós homens" criadas e aplicadas em todos os campos.lembras da frase "eu sou um pássaro me trancam na gaiola..."rsrsrsrsrsrs
    "Tu sacas "DRAGOBOW Z"?rsrsrsrsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  4. bom, little bird... eu li. Acho q a bike é Isaella, não?

    Tb acho que tem um pouco de teimosia e pavor da entrega em todo pássaro que bate cabeça até morrer ao invés de se deixar, por um momento, entregar-se e confiar em mãos alheias.

    Talvez seja o inconsciente associando as lembranças de gerações de pássaros que acabaram seus dias nas mãos de garotos inconsequentes.

    Mas, se se vai morrer de toda forma, não é melhor que seja em mãos quentinhas do que num vidro duro? Bizarro... Será que vale a pena confiar?

    ResponderExcluir
  5. Quis deixar meu registro por ter sido sua visitante número 1.000, (são 00:46h rsrs), achei isso relevante. Em contrapartida, espero que tenha gostado da imagem gerada a partir desse "post" e do que ele provocou... Aprendi um pouco contigo a ser visual e, foi "essa" imagem que minha mente projetou!

    ResponderExcluir
  6. como diria um personagem de novela: "felomenal"

    esse negócio de passarinho livre, passarinho preso, pegar no passarinho, afogar o passarinho, é obscenidade disfarçada!!! ah que saudades do DOPS!!!

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. maninho, du karalho, tá escrevendo muito...

    ResponderExcluir
  9. Achei tudo maravilhoso, texto belo, entretanto seu autor é o primeiro a bater a cabeça várias vezes na msm parede como se ñ enxergasse a saída, aliás, algo pior, enxerga mas se recusa a sair. Vou mais além em dizer que se fascina com o vôo de outros pássaros, até menores e menos capazes que ele, mas ele apenas observa e nada modifica. Esse pássaro que está sempre com seu bico a empurrar as outras aves como incentivo para vôos mais altos. O que faz esse pássaro além de desperdiçar sua energia e criatividade para aventuras mais apropriadas a sua capacidade? De fato não sei, só sei que é esse pássaro que espero ver nos céus e me orgulhar de dizer: FOI ELE QUE ME AJUDOU A VOAR!....

    Já ta na hora de levantar vôo né Ale =)
    Adoro vc chato
    bjos

    ResponderExcluir